Seja bem vindo
Belém,27/01/2023

  • A +
  • A -
Publicidade

Uma em cada vinte mulheres sofre de TDPM - Transtorno Disfórico Pré-Menstrual, doença que provoca depressão, alterações de humor e até risco de suicídio.

Vanessa Jaccoud, especialista em psicossomática, fala sobre a importância da conscientização sobre o TDPM, sintomas e tipos de tratamento

Uma em cada vinte mulheres sofre de TDPM - Transtorno Disfórico Pré-Menstrual, doença que provoca depressão, alterações de humor e até risco de suicídio.

Nunca houve tantas notícias em torno das mulheres. Algumas sobre suas conquistas e empoderamento. Outras sobre violência e desrespeito. Mas aqui vamos falar sobre a saúde física e mental, direito fundamental para quem desempenha um papel importante em todas as áreas da sociedade, da história, da família.  


saúde da mulher envolve prevenção de doenças, conscientização sobre seu corpo, combate a certas questões socio-culturais,  transformando-a em um compromisso de toda a sociedade preservar a saúde, a segurança e a qualidade de vida delas. Por isso, vamos falar sobre uma doença que está presente no dia a dia das mulheres, tornou-se expressão comum para dias difíceis, mas que pode significar um transtorno mental - o TDPM. 



Uma das formas pela qual o corpo feminino se comunica é por meio da menstruação. Durante esse período, a TPM (Tensão Pré-Menstrual) pode causar mais de 150 sintomas em 75% das mulheres. Porém, uma em cada vinte mulheres sofre de uma doença chamada TDPM (Transtorno Disfórico Pré-Menstrual), causado por uma alteração genética nos receptores de serotonina (neurotransmissor que regula o humor, o sono, o apetite e a dor), que provoca reações emocionais desproporcionais aos eventos externos.



De acordo com a nova versão do Manual Diagnóstico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria (2013), o TDPM é um subtipo de transtorno mental,  que pode provocar crises depressivas, impulsividade, agressividade e irritabilidade extremas. Existe, inclusive, risco de suicídio e agressões físicas nessa forma grave de TPM.
 

A TPM não é uma doença, mas um conjunto de sintomas que podem ocorrer mensalmente antes da menstruação, como dores de cabeça, inchaços, cólicas,  dores no corpo etc, que podem ser aliviadas com atividades físicas regulares e hábitos alimentares adequados. No entanto, uma parte das mulheres que sofrem de TPM apresentam esse transtorno mental sério e grave, que requer tratamento com psiquiatra especializado em saúde mental feminina.


A TDPM segundo Dra. Vanessa Jaccoud


"A especialidade que cobre essa área, justamente a psicossomática, onde sou especialista, realiza este encontro de conexão entre corpo e mente, e todas as especificidades e áreas que estão dentro das situações possíveis, tanto física quanto mental. A psicossomática é essa especialidade que cobre tudo isso.


A temática é muito importante, principalmente agora na contemporaneidade, porque as pessoas falam muito atualmente de ansiedade isolada e outros acometimentos. Mas, por exemplo, recentemente uma paciente minha em Portugal, que começou a fazer frequentemente um circuito nada saudável de oscilações humorais e perdas, inclusive relacionais devido a esse desequilíbrio que ela estava se submetendo de forma contínua, me chamou muita atenção, pois tem inclusive na herança familiar quadros severos na saúde mental. Eu ampliei os atendimentos para entender melhor esta ciclagem e comecei a apontar a necessidade de fazermos um rastreamento do decurso menstrual mensalmente, descrevendo como eram os sintomas do período total, os pré-menstruais, e toda a parte de regulação hormonal foi também  rastreada.


Então ela foi referenciada ao médico, realizou todos os exames, e o rastreamento necessário para acompanharmos o que havia ali, ela sofria muito com essas oscilações humorais e a relação conjugal dela de anos foi "terminada" por esta razão de desgaste. Nesse rastreamento, feito como um diário, fui conectando e entendendo ali elementos que no decurso do mês, faziam um prenúncio de que ela seria acometida por essa brusca oscilação. São como disparos, desníveis próximos a esse período pré-menstrual justamente que causam essas efusões - esse extremo desconforto que culmina em episódios gravíssimos de raiva e desregulação severa muitas vezes.


Então, a partir desse percurso, finalizei o entendimento e fechei o diagnóstico de TDPM, onde consegui trazer uma qualidade de vida muito melhor para a paciente, que é uma mulher nulípara (que não gestou ainda), inclusive trabalha, tem uma vida ativa, mas nesses dias, ela dizia que parecia estar "fora do corpo", que não era ela mesma, depois tudo voltava ao normal. Viver assim para ela e outros é um incômodo extremo, associado a uma série de perdas onde precisamos estar sempre atentos. Justamente pela mulher acabar levando aquele estereótipo de "louca", "doida" e "descompensada" nas emoções, o entendimento todo muitas vezes piora ainda mais e em nada ajuda. Não tem nada disso! Nós temos uma questão muito séria na saúde da mulher, principalmente nesse ponto específico, e a partir do tratamento correto como encaminhamento da psicossomática à psiquiatria e também junto ao ginecologista, eu como especialista pude fazer esse alinhave todo, essa grande costura de melhora para minha paciente, e hoje a relação conjugal dela foi retomada e eles tem uma nível de qualidade de vida excelente, sem essas oscilações do percurso e sem enfrentamentos, os quais para ela eram impossíveis. Ressalto que inclusive já foi cogitada a ideação suicida pela paciente, já que não havia um diagnóstico concreto que explicasse seus sintomas nesses dias.


Graças a Deus conseguimos entender e aqui está a informação para ser explicitada e disseminada com qualidade para as pessoas se colocarem minimamente sujeitas a uma visão técnica do que possa estar acometendo quando esses desequilíbrios e desconfortos possam ser tamanhos a ponto de perdas e muitos sentimentos serem incluídos na vida de alguém. Sempre dá para melhorar!"




Sintomas de TDPM


Além dos sintomas comuns da TPM, como dor nos seios, inchaço abdominal, cansaço ou alterações do humor, pessoas com transtorno disfórico pré-menstrual devem apresentam sintomas  do tipo emocional ou comportamental, como:

. Tristeza extrema ou sensação de desespero
. Ansiedade e  estresse excessivo
. Alterações bruscas de humor
. Irritabilidade e raiva frequentes
. Crises de pânico
. Insônia
. Dificuldade na concentração


Exemplos de tratamentos


. Antidepressivos, que ajudam a aliviar os sintomas de tristeza, desespero, ansiedade e alterações do humor. Também podem melhorar a sensação de cansaço e dificuldade para dormir.

. Pílula anticoncepcional, regulando os níveis hormonais durante todo o ciclo menstrual e reduzindo  os sintomas da TDPM.

. Analgésicos, que aliviam a dor de cabeça, as cólicas menstruais ou a dor nos seios.

. Cálcio, vitamina B6 e magnésio, que também pode ajudar a aliviar os sintomas, sendo consideradas uma opção natural.

. Plantas medicinais capazes de reduzir a irritabilidade e as alterações de humor frequentes, assim como a dor nos seios, inchaço e as cólicas menstruais.

Mas, além desses tratamentos, é importante buscar um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada, prática de exercício físico pelo menos 3 vezes por semana e evitar substâncias como o álcool e o cigarro.



Sobre a Drª Vanessa Jaccoud


Psico-Oncologista pela FCMMG- Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais;
Membro Titulada pela SBPO - Sociedade Brasileira de Psico-Oncologia;
Especialista em Psicossomática pela FCMSCSP-Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo;
Membro da ABMP-SP- Associação Brasileira de Medicina Psicossomática;
Psicóloga Clínica;
Membro certificada da WPATH- World Professional Association for Transgender Health;
Certificação em Excelência Avançada em Saúde para Transgêneros por Harvard Medical School;
Certificação em Traumas Complexos por Harvard Medical School;
Certificação em Primeiros Socorros Psicológicos pela Johns Hopkins University;
Atualização em Neuropsiquiatria pelo Albert Einstein-Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa;
Certificação em Dor Crônica por University of Minnesota;        
Certificação em Mind Body Medicine por Harvard Medical School;
Atualização em Psiquiatria 2022 pela Harvard Medical School;
Formação em Aperfeiçoamento da Memória pela Harvard Medical School;
Introdução à Neurologia Clínica pela University of California-San Francisco; Atualização em Psiquiatria por MCLean Hospital-Aprovado pela American Psychological Association.
Atua também nas áreas de Psiconeuroendocrinoimunologia e Psicofarmacogenética.  
Autora da cartilha "Vamos falar sobre transgeneridade?"
Palestrante de temas diversos em saúde mental, autora do livro Transgeneridade: Um caso de transcendência e Idealizadora do projeto TRANquilaMENTE.


Instagram: @dravanessajaccoud




COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login